Policia Publicado em 11/06/2020
Mais de 400 quilos de pasta base de cocaína apreendidos em avião são incinerados pela Polícia Federal

Por G1 Rio Preto e Araçatuba

A Polícia Federal de Jales (SP) incinerou nesta quarta-feira (10) os 490 quilos de pasta base de cocaína que foram apreendidos em um avião bimotor no aeroporto de Fernandópolis (SP).

A aeronave foi interceptada na última sexta-feira (5) por um tucano A-29 da Força Aérea Brasileira (FAB) e foi obrigada a pousar no aeroporto do interior de São Paulo, onde equipes da Polícia Militar e da Polícia Federal aguardavam para fazer o flagrante. Dois homens foram presos em flagrante.

A droga foi incinerada na presença de 12 policiais federais e representantes da Vigilância Sanitária. O procedimento foi autorizado pela Justiça Estadual de Fernandópolis.

Destino

Cocaína apreendida em avião seria entregue no interior de São Paulo

Segundo a Polícia Militar, a aeronave foi carregada com o entorpecente, avaliado em mais de R$ 15 milhões, na região Norte do Brasil. O destino final do bimotor seria um município do interior de São Paulo, localizado a 10 minutos de Fernandópolis (SP).

Dois homens de 44 e 38 anos foram presos, levados à Polícia Federal de Jales e transferidos para a cadeia de Santa Fé do Sul (SP), onde permanecem à disposição da Justiça. Ambos moram no estado do Pará e não possuem antecedentes criminais.

Droga apreendida em bimotor foi incinerada em Fernandópolis — Foto: Divulgação/Polícia Federal de Jales

Além dos 490 quilos de pasta base de cocaína, foram localizados equipamentos eletrônicos, documentos e aproximadamente R$ 9 mil em dinheiro.

Segundo a Polícia Federal, a aeronave já tinha sido apreendida em outra operação deflagrada no município de Vera Cruz, região de Marília (SP), em 1998. Na época, a aeronave foi encontrada com produtos eletrônicos contrabandeados do Paraguai.

À Polícia Militar, o piloto confessou que o avião foi arrendado, no começo do ano passado, durante um leilão. O valor pago foi de R$ 95 mil. Ainda não há informações sobre quem é o proprietário da aeronave, mas a investigação continuarà

´´Policia/Federal``